Se você tem uma pitada de estilo, mas nunca esteve em Tulum, temos certeza que o local está no topo da sua lista de desejos. Nos últimos anos, a outrora tranquila cidade boêmia da Riviera Maia tornou-se a praia mais quente, mas de alguma forma não perdeu sua alma ao longo do caminho.

Por enquanto, grandes desenvolvedores foram desencorajados e, embora haja muito dinheiro circulando por aí, o caráter da região evoluiu, mas não foi alterado irreversivelmente.

Bawa Studio
Bawa Studio

Tudo isso tornou o lugar o assunto perfeito para a jornalista/aventureira Julia Chaplin, famosa pela série de livros Gypset para a editora Assouline e que inclui Gypset Style, Gypset Travel e Gypset Living — e agora Tulum Gypset, com lançamento previsto para agosto.”Combinando o estilo de vida sem preocupações de uma cigana com a sofisticação do jet-set, Gypsetters são artistas, surfistas, designers e bons vivants que vivem e trabalham ao redor do mundo”, como Chaplin diz, e Tulum é a atual Meca desse grupo. 

Chino Moro
Chino Moro

“Um hub para boêmios descalços e mulheres glamourosas, Tulum é um esconderijo maia que exala o estilo de vida Gypset”, escreve Chaplin. “Um refúgio para nômades criativos, é o parque de diversões para comunidade e espiritualidade. Essa pequena e idílica faixa de areia na península de Yucatán espremida entre a floresta tropical, ruínas maias e a biosfera Sian Ka’an é um ambiente isolado de tirar o fôlego”.

Um “lugar boho-chic longe de casa”, Tulum é uma “experiência moderna rara e bem sucedida de consciência e sofisticação turbinada por hotéis simples, maravilhosos cenotes (pequenas piscinas naturais da era Maia) e visual sedutor”.

Gitano Gypsy Lounge
Gitano Gypsy Lounge

Isso sem falar na ótima vida noturna. “Os padrões sociais foram virados de cabeça para baixo”, aponta Chaplin, “confortavelmente rearranjados para pés descalços, um sorriso e consumo boho. Lembra os primeiros anos de Bali e Goa, os dias antes do turismo em massa diluir a utopia”. 

“Vamos a Tulum para criar”, diz Pablo Gonzales Vargas, fundador do Mayan Warrior, coletivo de arte extremamente popular criado na Cidade do México que se apresenta frequentemente em Tulum, conta Chaplin. “Estamos tentando construir um mundo melhor: com espiritualidade, criatividade e consciência”. Mas eles estão fazendo isso dentro de um ônibus equipado com sistema de som poderoso e decorado com um olho de Deus gigante e uma divindade maia em neon.

Be Tulum
Be Tulum

Chaplin também trata das mudanças em curso. “Ouvi falar em Tulum pela primeira vez no início dos anos 2000”, narra. “Antes disso, viviam aqui apenas pescadores, nativos e alguns mochileiros que alugavam pequenas cabanas. Os primeiros a chegar foram grupos buscando locais para meditar e praticar yoga”.

Um desses foi o famoso fotógrafo Mario Testino, que comprou uma casa na região e começou a realizar ensaios ali. Depois, “Melissa Perlman fundou o hotel Amansala e o talentoso casal Nicolas Malleville e Francesca Bonato (ele modelo para Gucci, Burberry etc. e ela uma designer italiana) abriram o Coqui Coqui, um albergue luxuoso com sete quartos à beira da praia que já recebeu Jade Jagger, Sienna Miller e Kate Bosworth”.

Assouline
Assouline

Devido a várias dificuldades em relação à posse de terras, algumas propriedades foram apreendidas e as coisas seguem em um estado de fluxo constante que, por enquanto, está ajudando a preservar o clima boho. Os jovens ricos em roupas de banho podem uma hora se cansar e mudar de pouso. Então, não espere mais nem um segundo para agendar sua visita – ou entrar na pré-venda desse belo livro. 

0 Comentários

Cancel